Das coisas que trago no peito

Eu acho que sempre fui bipolar, inconstante, estranha, nada convencional, enfim, nunca consegui me enquadrar em nenhum grupo especifico em nada nessa vida.
Me encontrei num relacionamento convencional, amei ter namorado, noivado e casado, depois me encontrei na maternidade, por duas vezes, mas sempre me pegava sendo assim, sei lá, entende?!
Nesta terceira gestação, confesso, fiquei pior, para desespero do marido, poderia até ter trocado de nome, de Fernanda para Inconstante!
Nessas últimas 30 semanas, víví uma montanha russa de sentimentos, dias incontáveis de insônia, de coração apertado, de coração explodindo de felicidade, de choros incontroláveis no banho, de sorrisos bobos e espontâneos, enfim, fui umas 30 mulheres em uma, e confesso estou exausta!!!!!
Esse final de gestação tem sido muito dificil, tanto pelo lado fisico quanto pelo lado emocional, tenho vivido dias muito intensos, e isso tem sobrecarregado meu pobre coração.
O calor fez minha pressão despencar, o "Terrible Thwo"fez minha paciência despencar, os cuidados diários com a casa e as meninas sugaram todas as minhas energias, a incerteza do futuro tirou meu sono, o medo de ter outro bebe agora me fez sentir uma culpa imensa, e agora, ahhh agora a cereja do bolo, estou sem meu obstetra de confiança!!!!
Comecei a passar muito mal, muitas contrações, dor, e na consulta meu médico receitou um combo: Inibina, Ultragestam, buscoduo, Cefalexina e Celestone e repouso!
Simples?
Não para uma mãe de duas, dona de casa e já cansada grávida!
Uma semana assim, tomando tudo isso, se sentindo uma maconheira(nunca fui, mas pelo que vejo, os efeitos foram parecidos rs), tentando fazer repouso, tentando manter e calma e....
Quando chego para a consulta de avaliação, fico sabendo que meu médico infartou, esta internado muito mal e vão me encaminhar para outra médica da equipe dele.
POHAM EU NÃO QUERO MAIS BRINCAR!!!!!!!!!!!
Eu já estou cansada demais para ter que me preocupar com isso, para buscar outro médico agora, estabelecer um vinculo de confiança e ter meu filho com alguém que nunca vi na vida, eu não quero mais chorar porque as coisas estão dando errado, sabe aquela música muito cantanda nos anos 90 "Eu só quero é ser feliz, andar tranquilamente na favela onde eu nasci", pois é, é o que eu mais queria.
E dai que hoje, aqui dentro, bem lá no fundo, eu queria mesmo era estar tranquila, em paz, serena, segura, inteira, mas não, estou despencando, exausta, pela metade, triste, me arrastando dia após dia, vivendo um dia de cada vez, tentando a cada dia acreditar que sim, existe um pote de ouro no final do arco iris!
Me abracem?



3 comentários:

  1. Unknown disse...:

    Ô Fê..... vem cá vem.... ó sente meu melhor abraço de gorda que eu possa te dar (abraço de gente gorda é o melhor abraço do mundo, fofinho e quentinho)

    E essa amiga gorda aqui te admira tanto, tanto, mas tantooooo, sem nunca ter te olhado nos olhos, sem nunca ter sentido teu cheirinho, te admiro pela coragem e pela mulher que tu és, com defeitos e muitas qualidades.

    Não é qualquer uma que se olha no espelho e se vê como realmente é, que identifica suas fraquezas sem se fazer de vítima, sem apontar o outro.

    Quem disse que viver era fácil não é mesmo? O que cabe à nós é sermos o mais fortes possíveis e mesmo estando no olho do furacão estar sempre com o pensamento em uma força maior que estará ali junto com a gente, que nos resgatará depois da tempestade e nos mostrará um lindo arco íris.

    Pode ser piegas mas Deus dá a cruz certa para cada filho seu e pode ter certeza que tu é capaz de passar por tudo isso.

    Tua família é linda, tu és abençoada e tu vencerá, e esses dias de angústia será mais uma história para ser contada, mais uma lição.
    Te amodoro <3

  1. Oi Fernanda,
    Amo seu blog. E olha q gosto de poucos. Te sigo ha pouco tempo, mas adoro seu jeito de escrever. É sincera, transparente, sem radicalismo na maternidade( odeio isso), expoe seus sentimentos, medos.Não finge ser perfeita como muitas. Seu blog me faz bem, me faz sentir normal. Obrigada por escrever.Eu adoraria te dar um abraço.
    E esse é apenas um momento ruim, de incertezas e medos, mas passa e vc sabe disso.
    Parabens pelo blog, pela linda familia e pela pessoa do bem que é.
    Abraços,
    Ana

  1. Nossa que situação Fernanda, mas calma, tomar uma decisão assim no desespero não leva a lugar nenhum, procure indicações de amigas, sempre tem alguém que conhece um bom GO! não será o seu mas terá uma indicação...
    Bjss

Postar um comentário

COMENTE AQUI